12/06/2015

Tentar entrar na Casa Mental da Matemática

O livro de Keith Devlin, "O Gene da Matemática", nos proporciona uma viagem incrível na compreensão do talento para lidar com os números e a evolução do pensamento matemático.

O livro de Keith Devlin, "O Gene da Matemática", nos proporciona uma viagem incrível na compreensão do talento para lidar com os números e a evolução do pensamento matemático. Quando li um determinado capítulo intitulado: "Alguns conseguem, outros não - ou será que conseguem", fiquei de certa maneira em um estado reflexivo e pensativo durante algumas horas, no qual fiquei bastante motivado em escrever esse artigo.



O referente capítulo do livro de certa maneira está relacionado com o título de nossa postagem, pois trata-se de uma metáfora. keit Devlin questiona o fato de muitas pessoas acharem a matemática totalmente incompreensível, enquanto outras lidam com ela com aparente facilidade. Para ilustrar essa situação ele faz uma analogia entre a capacidade ou o pensamento matemático e uma casa.

Analogia da casa


Quando entramos numa casa pela primeira vez, naturalmente não a achamos familiar. Andando por ali durante algum tempo, entretanto, olhando os vários aposentos e bisbilhotando nos armários, rapidamente passamos a conhecê-la. 

Mas que acontece se não podemos entrar na casa, e nosso único conhecimento sobre ela vem das instruções e plantas que foram usadas para construí-la? Além do mais, que acontece se essas instruções e plantas são escritas em linguagem altamente técnica, intimidadora e incompreensível para nós? 

Que acontece se, por mais que tentemos, não conseguimos formar qualquer imagem mental da casa? Aí, nós não vamos conseguir sentir muito como é morar naquela casa. Não conseguiremos entrar na casa nem mesmo na imaginação. Keith Devlin

Contraste com a Matemática


Uma vez dentro da casa, você não precisa de uma habilidade especial para passear por lá e se familiarizar com ela. O que é difícil e requer treinamento é entender os planos escritos. A meu ver, é assim que a maioria das pessoas vê a matemática. 

Defrontam-se com uma barragem de instruções, escritas em uma linguagem que não faz sentido para elas. Não que elas não entendam a matemática, o problema é que elas nunca chegaram até ela! 

Se pelo menos pudessem ultrapassar os planos e entrar na casa, elas veriam que é tão fácil passear dentro dessa casa matemática como dentro de uma casa comum. Keith Devlin

Entrando na casa


Nos parágrafos posteriores ao discurso acima,citado do livro "O Gene da Matemática" Keith Devlin ressalta que os matemáticos em si, não acham fácil toda a matemática. Existem partes mais difíceis do que outras.

 E nesse caso, as vezes, pode ser necessário um esforço considerável para alcançar um cômodo especial da casa matemática por exemplo. Infelizmente para a maioria das pessoas, a matemática é como um conjunto de regras aparentemente sem sentido. 

Mas para que possamos entrar na casa matemática é necessário codificar os números, os símbolos algébricos e equações. Talvez no inicio pareça tudo muito arbitrário e sem sentido mesmo, mas quando entramos na casa matemática, tudo parece real e com sentido.

Passeando pela casa


"Assim, não importa quão difícil seja andar por lá, fazê-lo é uma questão de interesse e persistência, não de se possuir um talento ou uma capacidade rara e mágica". Keith Devlin

Alguns conseguem, outros não - ou será que conseguem?

Keith Devlin escreve essa metáfora para desdenhar os problemas que as pessoas frequentemente têm com a matemática. Para ele não existem justificativas para a possiblidade de não compreender a matemática. 

Ele defende o fato de que nossos cérebros são equipados para se movimentar pela casa mental da matemática, assim como nossos corpos são equipados para se movimentar dentro de qualquer casa física. 

Então a esperança existe realmente, mas será necessário grande esforço e dedicação para passearmos pela casa da matemática.

Clique aqui e comente.
Anterior Anterior
Próximo Próximo